• Equipe Fabio Rocha

Arquitetura Corporativa: um agente de resultados positivos nas organizações


No século atual, o tempo é marcado de forma diferente. Em 2019 as horas do dia não são as mesmas de 1811, ano do início da construção comercial com o primeiro mercado de Paris, o St. Martin – seguido das primeiras salas comerciais, época em que os negócios imobiliários foram favorecidos pelas ações “pós-revolução francesa”. Muitas mudanças ocorreram nos últimos duzentos anos, e é impressionante constatar como o mercado está cada vez mais competitivo e exigente e como as cobranças por melhores resultados pedem dias cada vez “maiores”. Os métodos laborais precisam ser extremamente eficazes e perfeitamente sincronizados. A expressão “time is money” já está ultrapassada, pois o tempo agora é muito mais que dinheiro; ele é o ar que não pode faltar às empresas. Ninguém pode perdê-lo. Ninguém pode desperdiçá-lo. E nesse novo cenário a arquitetura corporativa tornou-se essencial.

Muito mais que um recurso estético e decorativo, voltado para a composição de layouts dos postos de trabalho, a arquitetura corporativa tem um papel fundamental no planejamento dos negócios e nos resultados operacionais e financeiros da organização. Na corrida contra o tempo, a criação de ambientes funcionais, adaptados às necessidades de agilidade nos processos, comunicação eficaz e alta produtividade, passou a ser o principal desafio. Além disso, esse segmento da arquitetura preocupa-se com a questão do elemento humano, que deixou de ser apenas uma peça da engrenagem, tornando-se fator primordial. Para o arquiteto Fabio Rocha, especialista em projetos e execuções de obras para escritórios e indústrias, responsável por um dos escritórios da CPW Nestlé, em Caçapava, “ambientes empresariais bem planejados e integrados, com espaços de trabalho humanizados, resultam em maior produtividade”. Para a elaboração deste projeto, organização, intercomunicação de equipes e crescimento a médio prazo foram as diretrizes fornecidas pelo cliente.

A revolução do mercado forçou as empresas a uma reestruturação organizacional e tecnológica. A intensificação da concorrência resultou na procura por soluções arquitetônicas que tornem os ambientes não só funcionais, mas também confortáveis e sofisticados. Em projetos corporativos, climatização dos ambientes, iluminação eficaz, acústica adequada, infraestrutura correta para receber modernos sistemas de cabeamento, elétrica e equipamentos de ponta e ainda ergonomia do mobiliário são apenas algumas das inúmeras soluções a serem planejadas.

E todos esses aspectos precisam estar integrados e se relacionarem fortemente com a imagem, marca, missão, visão e valores da organização. Isso sem falar de legislação trabalhista, normas regulamentadoras, prevenção contra incêndio, rotas de fugas, sinalização e pisos adequados, acessibilidade etc. etc. etc. “Criar e personalizar um projeto envolve a integração do meio ambiente ao perfil do cliente”, finaliza o arquiteto. Essa é a missão árdua que a arquitetura corporativa vem cumprindo e aprimorando desde a antiga Paris.

#arquiteturasjc #arquiteturacomercial #arquiteturaeconstrução #arquiteturacolaborativa #arquiteturacorporativa #arquitetosjc #arquitetoemsãojosédoscampos #arquitetoFabioRocha #layoutdosambientes #layout #postosdetrabalho #escritórios #projetos #produtosergonomicos #produtividade #reestruturaçãoorganizacional #projetoscorporativos #climatizaçãodosambientes #normasregulamentadoras #construçãoindustrial #gerenciadordeobra #gerenciamento

13 visualizações